Assistência Humanitária

A Defesa Civil, juntamente com as equipes do Departamento de Assistência Social da Secretaria de Inclusão e Assistência Social de Santo André, são responsáveis pela Assistência Humanitária realizada junto às pessoas afetadas e atingidas por desastres naturais ou tecnológicos da cidade.

Área de Risco – Maurício de Medeiros

 

As principais calamidades – inundações, deslizamentos, secas, granizos, vendavais, enxurradas, incêndios florestais, pragas animais e vegetais, pandemias e acidentes envolvendo substância tóxicas – vêm acarretando cada vez mais danos e prejuízos, como demonstram estudos epidemiológicos segundo os quais a soma dessas perdas – causadas por desastres naturais, humanos ou mistos – ultrapassa sensivelmente a provocada por todas as guerras.

Assistência Humanitária – Maurício de Medeiros

 

Além disso, as comunidades humanas estão cada vez mais vulneráveis pela degradação ambiental, entre outros fatores, que também aumentam a necessária estruturação de um sistema de Defesa Civil eficiente e eficaz por meio da institucionalização de suas ações nos níveis municipal, estadual e federal.

Ações de resposta

Como atividade de logística, a administração de desastres compreende a provisão de alimentos, água potável, limpeza e roupas, entre outras. Os Kits de Assistência Humanitária são materiais destinados à população diretamente afetada por desastres.

Proteção e Defesa Civil

 

A distribuição emergencial e gratuita dos kits tem como objetivo aliviar o sofrimento humano e colaborar para o restabelecimento da normalidade na situação adversa.

História Defesa Civil (1)
História Defesa Civil (2)

 

A escolha do tipo de material leva em consideração a tipificação dos desastres mais recorrentes no Brasil, as vulnerabilidades causadas às pessoas, bem como as características da população brasileira e as normas mínimas de assistência humanitária que preconiza a ONU.

História Defesa Civil (3)
História Defesa Civil (4)
Print Friendly, PDF & Email